Constelação Familiar

Bert Hellinger*, no desenvolvimento de sua metodologia, descobriu que acontecimentos e destinos de nossos familiares, às vezes de um passado bastante remoto, afetam nossa vida presente, em muitos casos, acontecimentos como mortes trágicas e/ou precoces, doenças graves, vícios entre outros se apresentam em muitas gerações da família.

Inconscientemente os descendentes desejam unir-se a estes antepassados através de uma doença ou da própria morte. Bert chama isso de “Emaranhamentos” sistêmicos e também de “Amor cego”. A Constelação busca descobrir a dinâmica oculta que condiciona o desejo inconsciente e permite a reorientação preservando os vínculos familiares e ressignificando o destino até então funesto, criado por sua alma.

A Constelação se trata de um processo profundo, de cura da alma, que dificilmente se consegue com outros tratamentos e intervenções. Quem já passou por uma constelação, seja assistindo, seja como representante ou como cliente não a subestima.

No trabalho de Constelação em grupo, o cliente vem com uma questão ou queixa que serve como foco para revelar qual dinâmica atua naquela pessoa. O facilitador conduz o processo com o objetivo de restabelecer a ordem no sistema trabalhado e em busca da “solução” para o cliente. Para a solução também é necessário a “Disposição” do cliente. A constelação dá uma imagem de solução que o cliente pode seguir.

No grupo o cliente escolhe pessoas para “representar” seu problema.  Esses representantes sem nenhuma informação prévia, sentem, pensam e se comportam como os representados, trazendo assim à luz informações preciosas que estão no “campo” ou no “inconsciente” do sistema familiar. Ao facilitador cabe restabelecer as “Ordens do Amor” (assim chamadas por Bert) através de frases e gestos de “solução ou de cura”.

Costumamos brincar que não há como explicar como é uma constelação familiar. Só a presenciando é que a compreendemos. A compreendemos “com o coração”. Quem a racionaliza a perde. Ela não atua com o sentido do pensamento. Quem vem com muita expectativa, histórias e explicações costuma frustrar-se. Muitas vezes a constelação vêm na contra-mão do que o cliente “quer”. Ali quem manda é a Grande Alma.